“É necessário um planeamento específico, pois qualquer uma das provas [do AUTV] é muito exigente.”

EGT2017
EGT 2017: O calor brilhou na Estrela
22 May, 2017
Gaya Legendary Running
Gaya Legendary Running: por trilhos lendários
26 May, 2017
Armando-Teixiera-AUTV-Salomon-Suunto

“É necessário um planeamento específico, pois qualquer uma das provas [do AUTV] é muito exigente, com terreno muito técnico e o atleta é sujeito a um desgaste imenso.”

O Andorra Ulra Trail Vallnord corre-se entre 4 e 9 de Julho e conta com o português Armando Teixeira, atleta Salomon/Suunto e capitão da Selecção Nacional de Trail, como embaixador. A sua relação com a prova começou em 2013, quando percorreu pela primeira vez os 170 quilómetros da Ronda dels Cims e conseguiu o 6.º lugar. No ano seguinte, não deixou escapar o pódio, subindo ao 2.º lugar, 31 horas após percorrer Andorra de lés-a-lés, facto que o levou a assumir-se como “atleta de ultra-distância”. À RUNning, Armando Teixeira confessou que, para o sucesso neste desafio, “é preciso treinar muito e esperar que as montanhas de Andorra estejam num bom dia”.

 

Como descobriste a Andorra Ultra Trail Vallnord (AUTV)?

Descobri com amigos e foram eles que me incentivaram a participar em 2013. Disseram-me que era a prova de 100 milhas mais bela e dura do mundo. Andei a investigar na internet, fiquei surpreendido e lá fui eu.

Como recordas a tua primeira participação?

A minha primeira participação ficou marcada pela alteração do percurso devido às más condições meteorológicas. Surpreendeu-me a dureza e a beleza das montanhas de Andorra. Nunca tinha corrido num sítio tão bonito.

O que tem de especial esta prova?

Um pouco de tudo, a AUTV é uma prova de pura montanha, com uma organização excelente e voluntários excepcionais. Parece que aquelas montanhas são mágicas ou encantadas e sinto-me muito livre ali.

Quais foram os melhores momentos que viveste em Andorra?

O melhor momento foi quando terminei a Ronda dels Cims pela primeira vez, em 2013. Realizei um sonho, pois nunca pensei que conseguisse terminar a prova, quanto mais em 6.º lugar. Também recordo com carinho o 2.º lugar em 2014. Foi quando acreditei e me declarei como atleta de ultra-distância.

Qual o segredo para subir ao pódio da AUTV?

Não sei se há um segredo, mas é preciso treinar muito e com muita paixão e esperar que as montanhas de Andorra estejam num bom dia.

Que dicas deixas a quem gostava de fazer alguma das provas?

É necessário que o atleta faça um planeamento específico, quer no seu programa de treinos, quer no seu calendário competitivo, pois qualquer uma das provas, especialmente a Ronda dels Cims, é muito exigente, com terreno muito técnico e onde o atleta é sujeito a um desgaste imenso.

 

A organização prevê que cerca de 3000 atletas procedentes de 48 países alinhem nas partidas das cinco corridas: Eufòria (233 km, 20.000 m D +), Ronda dels Cims (170 km y 13.500 m D +), Mític (112 km, 9.700 m D +), Celestrail (83 km, 5.000 m D + ), Marató dels Cims (42 km, 3.000 m D +) e Solidaritrail (10 km, 750 m D +).

Os espanhóis e os franceses são os que continuam mais fiéis à prova, mas o número de portugueses todos os anos aumenta. Este ano são esperados cerca de 80 portugueses distribuídos por todas as provas.

Todas as provas, com execpção do Eufòria e do Solidaritrail, já esgotaram os dorsais.