Contagem decrescente para a 5.ª Corrida Montepio: A somar edições e totalistas

As_7223_Meia_Maratona_Descobertas
Meia Maratona dos Descobrimentos: Preços de inscrições mais baixos até 15 de Outubro
13 October, 2017
22538672_1378305738934658_1933749677414220838_o
Estes Alves vence o Km Vertical da Eurafrica Trail
16 October, 2017
Montepio

Dina Vidinha e João Carlos Santos participam na Corrida Montepio desde a primeira edição, em 2013. Foi nessa altura que descobriram o gosto pela corrida. Este ano, estão novamente inscritos para a prova, que acontece no próximo Domingo, a 22 de Outubro, em Lisboa, e que pretende atingir as 12 000 inscrições a favor da Associação dos Deficientes das Forças Armadas.

F: Celestino Santos

Corria o Verão de 2013 quando João Carlos Santos, de 37 anos, começou a preparar-se para a primeira prova de running da sua vida: os 10 km da Corrida Montepio. Funcionário dessa casa, nunca tinha corrido, mas os colegas incentivaram-no.
“Passei a integrar o Grupo de Atletismo dos Serviços Sociais do Montepio e a preparar-me para esse desafio”, conta. A partir daí, nunca mais largou acorrida. As distâncias foram aumentando, a ponto deter percorrido 144 quilómetros na Ultra Maratona Caminhos do Tejo e querer fazer mais 180 em breve.
Actualmente, João Carlos privilegia o trail e o contacto com a natureza, mas continua a participar, pelo quinto ano consecutivo, naquela a que chama a “festa da corrida”, que acontece entre o Rossio e o Terreiro do Paço, a 22 de Outubro. “Vamos todos juntos. Somos um grupo de atletismo relativamente grande, umas 20 pessoas, para além dos outros colaboradores do Montepio que também participam”, refere. “Aí não há objectivos de tempo e ninguém fica para trás. É um dia de celebração!”

Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Também para Dina Vidinha, 37 anos, a Corrida Montepio tem um gosto especial. “Não foi a minha primeira prova, mas foi a segunda”, conta,recuando ao ano de 2013. No início “foi terrível;não estava habituada a correr”, lembra. Mas, com o apoio e insistência do marido, foi-se tornando mais fácil. Actualmente, participa noutras provas quando possível e treina três a quatro vezes por semana. “Junto-me a vários grupos para treinar,principalmente à equipa Corridas & Comidas. O que antes era um sacrifício, agora é um vício. A corrida é um meu anti-depressivo natural”, afirma.
Também João Carlos reconhece que o running se tornou num modo de estar na vida: “A minha agenda não me permite fazer grandes treinos, mas durante a semana faço um ou dois e ao fim-de-semana faço outro mais longo”, acumulando alguns cuidados coma alimentação.
Ambos elogiam a faceta solidária da Corrida Montepio, que, sob o lema “Corremos uns pelos Outros”, ao longo de quatro edições já confiou cerca de 216 mil euros a instituições de solidariedade social. Este ano, o valor angariado reverte a favor da Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA). O funcionário,que chegou a participar numa prova organizada pela ADFA, conclui: “Os nossos ex-combatentes merecem todo o apoio.”