Filomena Costa em terceiro na Meia Maratona do Porto

jogos paralimpicos_0
Atletismo traz 2 medalhas de bronze e 12 diplomas paralímpicos do Rio2016
18 September, 2016
correr_pelado
Légua Nudista Internacional da Praia do Meco – Como preparar o equipamento?
20 September, 2016
10ª Meia Maratona do Porto

A 10.ª Meia Maratona do Porto Sport Zone correu-se ontem na zona ribeirinha da invicta, com passagem por Vila Nova de Gaia. Filomena Costa levou Portugal ao pódio, ao assegurar o terceiro lugar da geral feminina em 1h13m27s, logo atrás da queniana Martha Akeno (1h13m16s) e da japonesa Nao Isaka (1h12m12s). “Estou muito contente com este resultado”, disse à RUNning a atleta da Associação Cultural e Desportiva Jardim da Serra, adiantando que este ano ainda vai participar na Meia Maratona de Ovar e na Maratona do Porto.

10ª Meia Maratona do Porto

 

 

 

 

 

 

 

 

Também no sector masculino a sorte não sorriu aos atletas do Quénia. A prova foi ganha pelo atleta do Uganda Daniel Rotich, em 1h00m59s, tendo os quenianos Pius Maiyo Kirop (1h01m54s) e Sammy Kurui (1h01m55s) completado o pódio. O melhor português foi Carlos Costa, do Clube Desportivo São Salvador do Campo, que em 1h08m08s garantiu o 13.º lugar, seguido por José Moreira, do Sporting Clube de Portugal, e Miguel Borges, do Sport Lisboa e Benfica, que atravessaram a meta passada 1h08m27s do tiro de partida.

10ª Meia Maratona do Porto

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com a organização, este ano a prova contou com mais de 7000 participantes, tendo sido 4000 a participar na Mini Maratona. Quem também não faltou às comemorações da primeira década de existência da Meia Maratona do Porto foi o gigante queniano do atletismo mundial, Paulo Tergat, padrinho da prova, que participou na primeira edição, e agora voltou para dar o tiro de partida. O bicampeão mundial de meia maratona, em 1999 e 2000, que quebrou o recorde do mundo também da maratona, em 2003, foi homenageado durante a cerimónia de pódio. À RUNning disse estar impressionado com o crescimento da prova, que “passou de algumas centenas de pessoas na primeira edição para se tornar um evento enorme, com milhares de pessoas que vão ao Porto não só competir, mas também para conhecer a cidade”. Também o ex-campeão nacional e europeu de corta-mato, Paulo Guerra, foi homenageado, segundo a organização, “como forma de reconhecimento pelo trabalho realizado no atletismo”.