Inês Henriques eleita melhor atleta do ano pelo Comité Olímpico de Portugal

Inês Henriques, campeã mundial dos 50 km marcha, foi eleita a melhor atleta feminina do ano pelo Comité Olímpico de Portugal (COP), tendo-lhe sido atribuída a Medalha de Excelência Desportiva. “Sempre achei que era uma injustiça as mulheres não poderem fazer os 50 km marcha. Agarrei a ideia do meu treinador com toda a força para tentar cumprir o sonho de uma vida”, afirmou a atleta, que já esta semana tinha sido homenageada pela Câmara Municipal de Rio Maior, com a medalha de honra do município (grau ouro).

A Ordem Olímpica Nacional foi entregue a Jorge Miguel, treinador de Inês Henriques, o principal responsável pelo desenvolvimento da marcha atlética, no Clube de Natação daquele município.

O canoísta Fernando Pimenta voltou a ser o melhor atleta masculino do ano, depois da medalha de prata em K1 1000 metros e a de ouro nos K1 5000 nos Mundiais.

“O primeiro (segredo), é o meu treinador. Depois, trabalho, humildade e disciplina. Este era um ano muito importante para mim, depois de o ano anterior não ter corrido como queria. Este ano voltei a ser consistente em termos de resultados”, disse o canoísta na cerimónia que decorreu nesta quarta-feira.

Cristiano Ronaldo foi galardoado com o Prémio Prestígio.

Edson Barros, que foi Medalha de Ouro nos 200 metros obstáculos, nos Jogos Olímpicos da Juventude Europeia, recebeu o Prémio Juventude, o Prémio de Ética Desportiva foi entregue a Carlos Gonçalves e a Medalha de Mérito a Fátima Monge Silva.

O presidente do COP, José Manuel Constantino, destacou, na ocasião, o papel desempenhado pelos agentes desportivos, que têm dado “um contributo tantas vezes reconhecido no discurso, mas omisso e moroso na sua tradução em medidas que galvanizem e qualifiquem o labor de atletas, de técnicos, de dirigentes, de voluntários, de árbitros, de juízes e demais agentes que, enquadrados pelas organizações desportivas, de clubes a federações, erigiram do livre associativismo o desporto que hoje celebramos.”

José Manuel Constantino deixou ainda, no seu discurso, um desafio para o futuro, aludindo aos resultados conseguidos pelos consagrados na Celebração Olímpica: “Estou seguro que, inspirados no seu exemplo, seremos capazes de abraçar com sucesso os propósitos que assumimos neste novo ciclo olímpico.”

Também presente na Celebração Olímpica, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, invocou os valores olímpicos, Excelência, Amizade e Respeito, para sublinhar que “a presença nos Jogos Olímpicos é muito ambiciosa e profissional”, lembrando igualmente que o apoio público às Missões Portuguesas está contratualizado para três ciclos olímpicos.

“Trabalhamos juntos para conseguir condições para os nossos atletas”, disse Tiago Brandão Rodrigues. “Todos somos precisos neste esforço. Portugal conta com cada um de vós.”