sliced-watermelon
Melancia: A fruta dos atletas
1 June, 2017
_MG_3965
Os pequenos grandes heróis da pista
1 June, 2017
sunscreen-sport-legs-beach

A pele é o maior e o mais pesado órgão do ser humano e os cuidados que exige são proporcionais ao seu tamanho, principalmente quando falamos de uma população altamente exposta a agressões, como os atletas. Saiba como estar 100% protegido numa altura do ano em que o sol não dá tréguas!

T: Ana Bernardino  F: DR

 

Embora devam estar presentes durante todo o ano, é essencial que, pela intensidade dos raios solares, os cuidados com a pele sejam reforçados durante o verão, sobretudo quando a exposição ao sol é grande, como no caso de quem corre. Filipa Teles é especialista em Medicina Tradicional Chinesa e bio-cosmética, na Essence Prime Care, e explica à RUNning que nesta altura do ano, em que os dias são maiores, “o envelhecimento cutâneo” é acelerado, quer pela intensidade superior dos raios ultra-violeta, quer por uma maior exposição a estas radiações.

Para agravar o cenário, “vestimos menos roupa e ficamos com uma maior superfície corporal exposta ao sol”, refere, por seu turno, Helena Toda Brito, especialista em dermato–venereologia. “Tudo isto contribui para o aumento do risco de queimaduras solares e para os efeitos prejudiciais e tardios da radiação solar”, sublinha.

Mas não é só no verão que a pele dos corredores está em risco. Há outros factores que potenciam agressões: abrasões (sobretudo nas axilas e nos mamilos) e calosidades provocadas pelo atrito; as bolhas e os hematomas nos pés, provocados pela pressão que estes exercem contra as sapatilhas; as infecções cutâneas (pé-de-atleta, por exemplo) e ainda as erupções causadas pela transpiração.

O manual anti-agressões
Comecemos pelo básico: os atletas deverão “evitar as corridas no pico da radiação ultra-violeta, optando sempre por treinar em locais com sombra”, aconselha Helena Toda Brito. Quando tal não é possível, “as medidas de protecção solar deverão ser rigorosamente cumpridas”. Juntamos a estas mais três comportamentos essenciais ao bem-estar da pele.

 

Os cuidados diários

“Os cuidados diários devem incluir, antes da corrida, a higiene adequada da face para retirar todos os resíduos que possam existir na pele [sebo, poeiras, maquilhagem], de modo a evitar o aparecimento de lesões e de acne”, refere Helena Toda Brito. Filipa Teles sugere a água micelar, por “eliminar a sujidade sem que a barreira cutânea seja agredida”. Para quem sofre de bolhas nos pés ou de maceração da pele – irritação nos mamilos, por exemplo – poderá ainda aplicar vaselina nos locais em questão.

O banho deverá ocorrer assim que a prova ou o treino terminarem. Se tal não for possível, é aconselhável tanto a utilização de toalhetes para limpar a cara, como o transporte de uma muda de roupa – o suor potencia a absorção das radiações e facilita o aparecimento de queimaduras solares.

Depois do banho, e para a combater a pele áspera e seca, é ainda importante a utilização de um creme hidratante.

 

O protector solar

Além dos cuidados diários, é essencial a aplicação de protector solar em todas as zonas expostas da pele, incluindo lábios, orelhas ou couro cabeludo. Deverá ser de factor igual ou superior a 30, resistente à água e deverá incluir protecção contra as radiações UVA E UVB. Helena Toda Brito sugere “as formulações em stick, que são ideais para desportistas: são boas para aplicar na cara e podem facilmente ser transportadas nos bolsos do equipamento”. Filipa Teles acrescenta que “o creme deverá ser aplicado 20 minutos antes de se iniciar a corrida e, no caso de provas longas, deverá haver um reforço de duas em duas horas”.

 

Equipamento

Não subestimemos o papel da roupa – aquilo que vestimos também desempenha a função de armadura. Assim, e em primeiro lugar, é obrigatória a utilização de um chapéu (com abas e protecção UVA e UVB) e de óculos de sol. Relativamente aos têxteis, Helena Toda Brito sugere “tecidos técnicos, com tecnologia Dri-fit”: são compostos por materiais sintéticos (nylon, poliéster ou licra) leves e capazes de afastar a transpiração. Para efeitos de protecção contra as radiações (e não contra o calor), quanto mais escuro o tecido e quanto maior a região do corpo coberta, melhor. As meias também são um aspecto a considerar, uma vez que podem gerar lesões nos pés. Estas devem ser isentas de costuras e constituídas por material próprio de corrida. As sapatilhas devem ser um número acima para evitar os hematomas nos dedos.

 

A importância dos anti-oxidantes

As duas especialistas concordam que todos os atletas ganham em fazer um reforço no consumo de alimentos ricos em anti-oxidantes, pois protegem o organismo e as células do efeito dos radicais livres, substâncias que potenciam um envelhecimento celular prematuro e que são fruto de diversos factores como a poluição, a ingestão de bebidas alcoólicas, a exposição aos tabaco e ao stresse. Fontes favoráveis são as uvas, os frutos vermelhos, os frutos secos, a batata-doce, o chá verde, os cereais integrais, o feijão ou o peixe. Somamos a isto a hidratação, através da ingestão de água, que também influencia muito o estado da pele.