Nove provas americanas recusam pagar pela qualificação da ITRA

Texto: Teresa Mendes

Foto: DR

Os directores de corrida de nove provas americanas tomaram uma posição conjunta de não pagar pelos pontos de qualificação da International Trail Running Association (ITRA). De acordo com o statment publicado na UltraRunning Magazine, a polémica estalou quando, há algumas semanas, a prova Hardrock Hundred recebeu alegadamente um e-mail de Catherine Poletti, diretora do UTMB, que dizia que Kilian Jornet desejava participar na prova, mas como a organização da Hardrock não pagou a taxa exigida pela ITRA para a prova ser acreditada por esta entidade, o atleta teria ficado sem os pontos de qualificação necessários para poder participar.

Os responsáveis pelas provas dizem que “não se sentem obrigados a pagar o regime de qualificação do UTMB”, alegando que “o UTMB e a ITRA são empresas estritamente lucrativas, com receitas estimadas em milhões de euros” (aludindo a facto de Catherine e Michel Poletti serem donos do UTMB e da ITRA) e que “esta é uma forma de maximizar o que já é uma empresa muito lucrativa”.

“A avaliação é solicitada pelas organizações e não algo imposto pela ITRA”

Numa reacção à notícia publicada, José Carlos Santos, vice-presidente da ITRA, disse à RUNning que “a ITRA irá tomar uma posição oficial sobre o assunto esta semana”, deixando para já o seu comentário pessoal.

Na sua opinião, “não há nada de novo nem de extraordinário nesta questão”, pois “existem provas que pretendem ver o seu percurso validado em termos de distância, desnível e o grau de dificuldade pela ITRA e isso é um serviço que é pago”. Ou seja, explicou, “só através dessa validação é que é possível atribuir às provas determinado nível de dificuldade expresso em pontos. Esses são pontos ITRA que as provas têm interesse em possuir, uma vez que atribuem ao percurso uma maior credibilidade e ainda porque permitem aos participantes acumularem pontos com o objectivo depois de poderem participar em provas internacionais, que não apenas o UTMB, pois há outras provas internacionais que já exigem pontos ITRA”. Por outro lado, “a avaliação é solicitada pelas organizações e não algo imposto pela ITRA”, argumentou.

Numa análise ao artigo, José Carlos Santos salienta que o mesmo tem “várias incorrecções e confusões”, tais como a que diz que a ITRA é detida pela família Poletti e que é uma entidade com fins lucrativos: “Isso é um disparate. A ITRA é uma associação de running internacional que tem no seu comité 18 pessoas de nacionalidades diferentes, no seu board executivo, do qual eu faço parte, mais dois vice-presidentes, um presidente e um tesoureiro. A ITRA é uma associação internacional e não uma associação da família Poletti.”

Por outro lado, continua, “confunde o UTMB com a ITRA ou pontos UTMB com pontos ITRA”. Segundo o responsável, “no passado, antes de existir a ITRA, era a própria organização do UTMB que resolvia qualificar as provas com pontos, de acordo com a sua dificuldade. Mas, a partir do momento em que apareceu uma associação internacional o que faz sentido é que seja esta avaliar as provas e não as organizações em particular”.

Em suma, resume José Carlos Santos, “esta questão dos pontos é perfeitamente ridícula”, ainda por cima quando o seu custo é de “apenas 100 euros”.

O dirigente “desconhece” o motivo de este manifesto ter surgido neste momento. Contudo, na sua opinião, “ainda existe muita confusão no mundo do trail, não só entre os conceitos das várias modalidades – trail, corrida de montanha, sky running -, mas também relativamente à governação da modalidade”. A este propósito, adiantou à RUNning, vão decorrer proximamente várias reuniões com a IAF (International Accreditation Forum) “para tentar esclarecer este tipo de questões” porque esta, dos pontos, reforça, “é perfeitamente ridícula”.

As provas que se manifestaram contra o pagamento dos pontos de qualificação são: Hardrock Hundred; Run, Rabbit, Run 50 and 100 Mile Runs; Speedgoat 50K; Wasatch Front 100; San Diego 100 Mile Run; Cascade Crest 100 Mile Run;  Angeles Crest 100 Mile Run; Grindstone 100 Mile Run e Big Horn Trail Runs.

O artigo está disponível para consulta em https://ultrarunning.com/headlines/ultrarunning-news/why-we-wont-pay-utmb-itra-and-the-pay-for-points-racket/.