Felizmente, o bolo estava delicioso

Trail dos Palácios une Mafra a Sintra
27 June, 2016
b36d8d3c-9f44-4d79-8baf-107cab7f5f19
10 motivos para não perder a Maratona de Palma de Maiorca 2016
29 June, 2016
RUNning magazine

O convite para o Treino de Aniversário da revista RUNning despertou a minha atenção logo que surgiu na caixa de correio. Afinal de contas, falava-se de lembranças, bolachas e é sabido que não há aniversário sem o respectivo bolo.

Apelava-se à participação de todos, independentemente da velocidade que as suas pernas conseguem alcançar. Anunciava-se igualmente a possibilidade de correr com verdadeiros atletas e uma aula final de yoga, o que é sempre porreiro, pois permite, no exercício final, dormitar, ou meditar, para os entendidos.

Motivado pelo programa e, talvez um pouco, pela possibilidade de me escapar às compras de Sábado de manhã, desloquei-me até ao Complexo Desportivo do Jamor. Aí deparei-me com todo o tipo de pessoas que, sorridentes, falavam das suas proezas, quase olímpicas.

Após a “sova” inicial, considerada pelos técnicos presentes como “ligeiro aquecimento”, o grupo foi dividido em três de corrida e um de marcha, ao qual estive tentado a juntar-me (somente para apreciar a beleza do local, obviamente).

Finda a meia hora de treino e já a não poder com as pernas, o que contrastava com o ar tranquilo de quem dizia que ia para uma prova ou dos que se preparavam para fazer um treino a sério (mas está tudo louco?), chego à pista de atletismo do Jamor, com a camisola completamente encharcada e emborco duas águas de seguida.

Com a expectativa em alta pelos elogios que o chef ia recebendo sobre os seus dotes culinários, ouvi algo que me causou um amargo de boca: “Bora maltinha, que isto ainda vai a meio!!!!”

Fui de seguida empurrado para um dos grupos que se formavam e juro que se tivesse forças, quando ouvi as explicações sobre os exercícios, teria corrido dali para fora. Não sei quantos saltos, flexões, agachamentos e sei lá mais o quê, depois, vibrei efusivamente quando percebi que finalmente tinha terminado.

Era chegada, finalmente a hora do bolo! Ou pelo menos eu pensava que sim. Faltava o Yoga e as suas posições saídas sabe-se lá de onde e, raios, o que aquilo me custou.

O bolo quase fez esquecer todo o sofrimento deste treino, que só não se prolongou pelo resto do dia dada a minha excelente forma física, que nem os alongamentos da aula de yoga conseguiram abalar.

 

Boas sestas, perdão corridas.