OPINIÃO: PAPEL DO MAGNÉSIO NOS ATLETAS

cartaz-challenge3000-3
Challenge 3000 vai desafiar corredores que procuram uma experiência em pista
22 October, 2016
Abertura-oficial-Campeonato-mundo-de-trail
Campeonato do Mundo de Trail em contagem decrescente para começar
28 October, 2016
DSC_5314

Por Dr. Basil Ribeiro, especialista em Medicina Desportiva e responsável clínico do Rio Ave F C e da Seleção Nacional de Futebol de Praia

 

O magnésio é essencial ao correcto funcionamento do sistema neuromuscular, sendo que a sua carência pode comprometer o desempenho do atleta. É sabido que o magnésio (Mg) é eliminado do organismo através da urina e do suor, embora em quantidades muito pequenas. A sudação abundante, principalmente em ambientes quentes e húmidos, em provas de maior duração originará maiores perdas de Mg por esta via. Se associadamente houver baixa ingestão diária, facilmente se entra em carência.

É suposto que o atleta faça uma alimentação variada, equilibrada, portadora dos micro e macronutrientes necessários ao funcionamento quotidiano e ao esforço físico acrescido inerente à prática desportiva. Contudo, nem sempre tal acontece. No atletismo, principalmente de fundo e de meio-fundo, importa ter uma percentagem de gordura corporal muito baixa para melhorar a eficiência mecânica e diminuir o tempo de prova. A baixa ingestão calórica poderá conduzir ao aporte abaixo da dose diária recomendada, como constatou um estudo efetuado pela Food and Drug Administration, nos EUA.

Devemos recorrer à sumplementação?

Por outro lado, existem estudos que relacionam a deficiência em Mg com a redução do rendimento desportivo, outros com o aparecimento de cãibras, assim como há outros que associaram a suplementação com Mg e a melhoria da performance em atletas carenciados de Mg. Tal significa que a suplementação do atleta com depósitos adequados de Mg não trará, em princípio, benefícios adicionais. A questão que se coloca é que não sabemos quais os atletas que precisam de suplementação com Mg, porque simplesmente não é possível, de modo prático e acessível, medir os depósitos de Mg e saber quais têm défice. As análises apenas quantificam o que circula no sangue, que representa uma pequeníssima parte do total que está no osso e no músculo.

O Mg é absorvido no intestino delgado, mas também no cólon. Um estudo refere que, dos 90 mg de uma refeição média de um adulto, cerca de 30 a 50% do Mg é absorvido. Dois estudos chegaram a uma conclusão curiosa: a absorção intestinal de Mg é mais eficiente quando a ingestão é baixa ou existe défice de Mg no corpo. Estes estudos poderão questionar a oportunidade em fazer suplementos em dose elevada única diária e valorizam a ingestão em duas tomas diárias. Refira-se que uma dieta rica em fibras reduz a absorção do Mg, mas, por outro lado, como os vegetais são ricos em Mg poderá haver compensação.

Os meus atletas, quase todos de alta competição, têm beneficiado com a suplementação regular quase diária de Mg. Não penso que haja perigo de intoxicação ou de efeitos colaterais por três motivos: há perda pelo suor, embora seja pequena; os suplementos usados não ultrapassam a dose diária recomendada; e os rins eliminam o excesso de Mg que possa circular no organismo.

As recomendações internacionais indicam uma dose diária entre os 270 e os 400 mg por dia para o homem adulto ou para o adolescente, ao passo que para a mulher a dose varia entre os 280 e os 300 g/dia. Recomenda-se a ingestão do suplemento oral às refeições, não se justificando a sua ingestão durante as provas longas, devendo ser garantido sim o seu bom depósito no corpo antes dos treinos e da competição.

 

Bibliografia de apoio:

  • Caroline H. Bohl and Stella L. Volpe. Magnesium and Exercise. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 2002;42(6):533–563.
  • Maria José Laires, Cristina Monteiro. Exercise, magnesium and immune function. Magnesium Research 2008; 21(2):92-6.
  • H. Nielsen, H.C. Lukaski. Update on the relationship between magnesium and exercise. Magnesium Research 2006; 19(3):180-9.
  • Newhouse, Ian J., Finstad, Eric W. The Effects of Magnesium Supplementation on Exercise Performance. Clinical Journal of Sport Medicine. 2000;10(33:195-200.
  • Setaro L1, Santos-Silva PR, Nakano EY, Sales CH, Nunes N, Greve JM, Colli C. Magnesium status and the physical performance of volleyball players: effects of magnesium J Sports Sci. 2014;32(5):438-45.
  • Mayo Clinic. Magnesium Supplement (Oral Route, Parenteral Route). 2007. http://www.mayoclinic.org/drugs-supplements/magnesium-supplement-oral-route-parenteral-route/description/drg-20070730.