Pablo Villa “O Campeonato do Mundo é o meu objectivo para esta época”

radio_stress
Fracturas de stresse
5 October, 2016
maca-powder
MACA O segredo dos guerreiros peruanos
5 October, 2016
PABLO-VILLA-2016-c-Oriol-Batista(2)

Vanessa Pais / Oriol Batista

Pablo Villa foi o atleta mais jovem a terminar a Travesera de Picos, nos Picos da Europa, em 2009. Tinha 19 anos e foi a sua primeira prova de montanha. Sete anos e muitos desafios superados depois, o atleta da Salomon Suunto Etixx prepara-se para representar a selecção espanhola no Campeonato do Mundo, em Outubro.

 

Hoje competes na montanha, mas foi na estrada que tudo começou. Em que momento se deu a mudança?

Sempre tive uma vida muito ligada ao desporto, mas também à montanha. Os meus pais são espeleólogos e passávamos muito tempo nos Picos da Europa. Por isso, desde muito novo que estava habituado a percorrer trilhos durante oito a dez horas. Por outro lado, aos 16 anos comecei a praticar atletismo. Assim, querer correr na montanha foi algo natural. Como conhecia bem os Picos da Europa arrisquei a Travesera. Ao cortar a meta, a emoção foi tão forte que decidi que queria continuar a ter essa sensação e comecei a competir na montanha a partir daí. A Travesera de Picos foi um marco não só na minha carreira desportiva como na forma de encarar a vida.

Consideras que a velocidade adquirida na pista é uma vantagem na tua prestação na montanha?

Sem dúvida. Aliás, durante o Inverno volto ao asfalto para treinar a um ritmo mais rápido, que não é possível na montanha. Isso permite-me melhorar, tal como o trabalho de força de base que desenvolvo com o meu treinador, o Francisco Arcilla, ao qual juntamos o treino de bicicleta e a natação.

 

As provas de ultradistância são as que mais gostas?

Sim. Gosto de grandes distâncias em percursos difíceis e técnicos. Essas provas são as minhas preferidas, ainda que arrisque distâncias bem mais curtas, como o quilómetro vertical.

 

Como geres o desafio das grandes distâncias?

A par da gestão do esforço, tenho um plano de alimentação e hidratação. A cada 20 minutos bebo água ou isotónico e a cada 45 minutos como uma banana ou tomo um gel. Tento cumprir este plano, mesmo que não sinta fome, porque quando, por vezes, sentimos fraqueza já não há nada a fazer.

 

Quais os teus próximos objectivos?

O meu primeiro objectivo para esta época foi assegurar um lugar na selecção nacional [espanhola] para ir a Portugal. Felizmente fiquei em terceiro no Campeonato de Espanha e consegui. O Campeonato do Mundo é o meu objectivo para esta época!

 

É a primeira vez que vais correr em Portugal?

Já corri a Meia Maratona de Lisboa há muito tempo, mas não conheço os trilhos. De Portugal só conheço Lisboa e o Porto, mas tenho muita vontade de correr na montanha. O Carlos Sá e o Armando Teixeira já me falaram sobre as provas e tenho visto vídeos. Gostava muito de ir à Madeira.

 

Quais as tuas expectativas para este campeonato?

Estou a trabalhar para estar na minha melhor forma e poder dar tudo. Espero que isso signifique ter um bom resultado.

 

Como olhas para o teu futuro na montanha?

Sei que não vou poder competir para sempre, mas irei fazê-lo enquanto tiver um bom rendimento. Também sei que nunca vou viver da competição na montanha, porque não há um investimento que nos permita ser apenas atletas. De qualquer modo, e porque me formei em Educação Física, o desporto irá sempre fazer parte da minha vida e enquanto puder correr vou fazê-lo, mesmo que não seja para competir.

 

Quais os teus receios enquanto atleta?

O meu maior receio é deixar de ter vontade de correr. Quando ganhas uma corrida a sensação é muito boa, mas passa poucos dias depois. É a vontade de correr e o prazer que se retira disso que fazem a diferença todos os dias.

PABLO-VILLA16-c-Oriol-Batista(2)

 

Perfil

30/12/1988

1,75 m

73 kg

Natural de La Bañeza, Leão, Espanha

3.º lugar no Campeonato de Espanha de Montanha em 2016

Campeão de Espanha de Skyrunning em 2015