São Silvestre de Coimbra

Luis-Landa-JO106
Luis Landa: “Em Espanha são os atletas nacionalizados que salvam o meio fundo e o fundo”
2 December, 2016
São Silvestre do Porto
5 December, 2016
Ssilvestre-coimbra-2016

Coimbra com encanto

Desde que a Escola de Atletismo de Coimbra está à frente da organização da corrida de São Silvestre da cidade – há dois anos – o número de finalistas das provas quase duplicou. E se em 2015 a capicua foi perfeita – cruzaram a meta 1111 pessoas –, este ano, a 17 de Dezembro (às 18h30), a presença de mais participantes será bem-vinda. “Mas se mantivermos o número já me dou por satisfeito, dada a concorrência que vai existir. Nesse dia, o Norte vai estar cheio de ‘são silvestres’”, descreve o responsável pelo evento, Luís Gaspar.

Precisamente a pensar na elevada oferta de provas, em 2015, a organização decidiu baixar os valores de inscrição na São Silvestre de Coimbra (que variam entre 10 e 13 euros, consoante a aproximação da data do evento). No entanto, manteve-se “a mesma qualidade, as mesmas ofertas, o mesmo programa”.

Mas o que faz com que um atleta opte pela cidade dos estudantes? Luís Gaspar responde: “Depende muito do que se espera de uma São Silvestre. Há quem vá pelo ambiente, quem goste de trazer um saco cheio de lembranças, quem prefira que seja perto para não ter custos de deslocação e quem ache que é um pretexto para visitar a cidade.” Garantidos estão a beleza monumental e o espírito da corrida que queima a fita do ano civil. “A São Silvestre é uma corrida com história, uma prova diferente.”