São Silvestre de Lisboa: “Acreditamos que vai ser um momento marcante para todos os que gostam de correr”

IMG_9369
Esta maratona não é para quenianos
4 December, 2017
kiprun-trail-mt-black-man---020-----Expires-on-19-12-2020
Os testers da RUNning apresentam: Equipamento 5 estrelas
4 December, 2017
Hugo Sousa

T: Teresa Mendes e Vanessa Pais F: Celestino Santos

 

No dia 30 de Dezembro, a Avenida da Liberdade recebe 10.ª edição da El Corte Inglés São Silvestre de Lisboa. A RUNning falou com Hugo Sousa, director-geral da HMS Sports, que nos antecipou algumas das surpresas desta mítica prova que volta, este ano, a decorrer à noite, na capital ainda iluminada pelas luzes de Natal.

 

Quais são as novidades para a 10.ª edição da São Silvestre de Lisboa?

Hugo Sousa [HS]: A primeira delas é que a prova vai voltar a ser realizada à noite, regressando ao seu formato original. Mas, talvez uma das mais significativas é que este ano vamos ter uma longsleeve by HMS Sports exclusiva para a São Silvestre de Lisboa. Como perdemos o patrocínio da Asics, ficamos com um grande desafio. Além disso, como habituamos os participantes a ter uma camisola de manga comprida, para ambos os géneros, e com qualidade, o desafio foi ainda maior. Mas, após uma longa investigação, conseguimos encontrar uma fábrica que produziu uma t-shirt à nossa medida, pois fomos nós que escolhemos tudo: as medidas, o desenho, o tecido…

O que tiveram em conta na escolha do tecido?

HS: Optámos por um tecido mais quente, uma vez que a prova se realiza no Inverno e à noite. As camisolas têm um tecido com 150 gramas, enquanto as da Asics eram de 130 gramas, o que vai evitar que os corredores precisem de vestir outra t-shirt por baixo durante a prova.

Levar a animação à competição é uma das características que têm distinguido esta prova. O que podemos esperar este ano nesta área?

HS: Este ano, pela primeira vez, vamos ter animações ao longo de todos os quilómetros da prova, com claques para motivação dos atletas, bandas de música e DJ. Serão 12 pontos de animação, mais quatro do que no ano passado. Vamos manter o desafio da COFIDIS, que é o de premiar os mais rápidos do último quilómetro da prova. Também vamos continuar com o desafio “Homens versus mulheres”. As mulheres estão à frente e, por isso, partem 2m57s antes da elite masculina.

Quais os atletas de elite que já estão confirmados?

HS: Vamos contar com a presença da Dulce Félix, do Ricardo Ribas, da Jéssica Augusto, da Vera Nunes, do João Pereira e do Hermano Ferreira.

A prova mantém a certificação europeia de 5 estrelas da European Athletics. Porque é que a HMS sports tem a preocupação de certificar as suas provas perante esta entidade?

HS: Esta certificação é uma espécie de “Trip Advisor” das corridas. Os atletas que gostam de viajar pela Europa podem consultar na plataforma da Associação Europeia de Atletismo – a “Running for All” -, uma listagem das provas que existem em determinado país e quais as suas características, nomeadamente qual o seu nível de segurança e de serviços. Em concreto, a certificação 5 estrela significa que a São Silvestre de Lisboa garante um nível elevado de segurança e serviços de elevada qualidade para uma corrida com um número significativo de atletas. No fundo, a Associação Europeia o que está a tentar é que haja uma uniformização de requisitos e serviços fornecidos ao participante relacionados com a sua presença na prova, como por exemplo, a existência de um determinado número de médicos per capita, de mililitros de água por participante, um bengaleiro, o contacto de emergência no dorsal. São, no total, 54 requisitos qualitativos que têm de ser cumpridos.

Quem fiscaliza o cumprimento desses requisitos?

HS: Cabe à federação de atletismo de cada país.

Este tipo de certificação, que imprime critérios de qualidade e segurança, e portanto, acarreta mais custos e capacidade logística,  poderá fazer, na tua opinião, com que as provas que não a tenham se fechem cada vez mais nos bairros?

HS: A verdade é que uma prova para ser diferenciadora e bem organizada tem de cumprir determinados requisitos para sobreviver. Por isso, mantivemos e renovámos a certificação europeia de 5 estrelas, sendo que a ideia é estender essa certificação a todas as nossas provas.

E quanto à São Silvestre da Pequenada, como vai funcionar?

HS: Vamos manter a corrida das crianças, nos mesmos moldes, integrando quatro escalões e com as inscrições a reverterem 100% para a Associação Sol. Vamos também ter o Pelicas em tamanho gigante e o Quico, que é a mascote dos Jogos da Cidade de Lisboa.

Os atletas queixam-se cada vez mais do preço elevado das inscrições. Este factor é considerado na organização da São Silvestre de Lisboa?

HS: A São Silvestre de Lisboa tem 10 edições e o preço da inscrição – 10 euros – é igual desde a primeira edição. Somos das provas grandes, uma das mais baratas. Os atletas têm hipótese de se inscreverem ao mesmo preço há 10 anos, desde que o façam durante o período promocional. Só este ano tivemos mais 3000 inscritos durante este período.

Mas também existe uma inscrição Gold…

HS: Sim. Existem 50 e estão quase a esgotar. Destinam-se às pessoas que estão na disponibilidade de pagar cinco vezes mais o preço da inscrição, mas com uma série de regalias, nomeadamente a possibilidade de partir na primeira vaga da prova, acesso à zona de convidados, estacionamento, massagem, levantamento do kit de participação na zona de partida e ainda um kit gold com uma mochila, e uma série de brindes extra.

O que inclui o valor da inscrição base?

HS: Para além da participação na corrida, um kit de participação, que inclui a t-shirt, e um kit de meta, com a medalha.

Como é feita a escolha da medalha?

HS: Depende da criatividade do nosso designer, mas tentamos aplicar sempre elementos relacionados com a cidade de Lisboa e com os patrocinadores para que a medalha seja algo que as pessoas guardem com gosto e que mais tarde se relembrem do evento.

Qual a mensagem que quer deixar aos leitores da RUNning?

HS: Juntem-se a nós nesta festa do atletismo de fim de ano na cidade de Lisboa. As ruas voltam a estar iluminadas com as luzes de Natal e acreditamos que vai ser um acontecimento marcante para todos os que gostam de correr.

 

OS NÚMEROS DA SÃO SILVESTRE LISBOETA

2016_MG_2545 (1)60 000 é o número de atletas que já correram a São Silvestre de Lisboa na sua primeira década

20 000 serão os kits de partida e de meta a entregar só este ano

22 500 garrafas de água vão hidratar os 10 000 participantes esperados

10 500 t-shirts e 10 500 medalhas vão ser entregues durante o evento

10 000 peças de fruta prometem ajudar os atletas a recuperar

1 000 grades vão delimitar os acessos à prova

200 elementos do staff certificam-se de que todos os participantes têm uma experiência fantástica

7 é o número de bandas e DJ que vão estar a animar o percurso

 

Mais informações em: www.saosilvestredelisboa.com.