Vão ser 10 000 a correr na São Silvestre de Lisboa (e Medina é um deles)

20171116_CS©_1026
Marisa Vaz Carvalho
29 December, 2017
20171025_CS©_0453
Samuel Barata
30 December, 2017
All-focus

T: Teresa Mendes

 

A 10.ª edição da corrida de São Silvestre de Lisboa esgotou as inscrições e vai juntar, neste sábado, 10 000 participantes, informou hoje a organização em conferência de imprensa, no Salão Nobre da Câmara Municipal da capital. Entre os vários atractivos da prova, mantém-se a já tradicional “guerra dos sexos”, que Jéssica Augusto está determinada em ganhar.

All-focusHermano Ferreira, Ricardo Ribas, João Pereira e Samuel Barata, que este ano reforça a equipa masculina, irão tentar eliminar a diferenças de 2m57’ para a elite feminina, liderada por Jéssica Augusto e composta ainda por Doroteia Peixoto e Vera Nunes – equipa que este ano não pode contar com a presença habitual de Dulce Félix. A atleta, que foi mãe recentemente, não quis, contudo, deixar de dar os parabéns à organização e incentivar as mulheres para o desafio, numa mensagem de vídeo gravada que Ricardo Ribas mostrou a todos os presentes.

Organizada pela HMS Sports, a prova, que ao longo de 10 anos já foi disputada por mais 60 000 participantes tem como lema “de atletas para atletas”, salientou Hugo Sousa, director da competição, que evidenciou igualmente o crescimento que o evento tem vindo a registar ano após ano. “Se há 10 anos me dissessem que a São Silvestre ia chegar às 10 000 pessoas eu não acreditaria, principalmente porque na primeira edição correu tudo mal”, recordou o responsável.

 

“Não tenho dúvidas que, das São Silvestres, esta é a maior do país”

O presidente da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Jorge Vieira, revelou ter “um orgulho muito pessoal em liderar uma modalidade que conta com a participação de atletas tão ilustres, como o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina”, que vai participar na prova.

Felicitando os atletas de elite presentes – Jéssica Augusto, Ricardo Ribas, João Pereira e Hermano Ferreira – o dirigente disse também estar orgulhoso pelo facto de o atletismo ser “uma modalidade transversal, que vai desde as crianças aos atletas olímpicos”.

Jorge Vieira recordou ainda que foi em 1925 que nasceu pela primeira vez, em São Paulo, Brasil, a São Silvestre, como homenagem ao papa com o mesmo nome, e que também nós, em Portugal, temos provas “com uma grande tradição, como a São Silvestre de Lisboa, dos Olivais ou da Amadora”. Mas, para o presidente da FPA, “a de Lisboa tem um impacto cada vez maior, principalmente devido ao cenário onde acontece”. “A Avenida da Liberdade à noite tem um encanto único. Não tenho dúvidas que, das São Silvestres, esta é a maior do país e a que tem mais beleza e um encanto especial”, sublinhou.

All-focus

João Pereira de Faria, relações externas da El Corte Inglés salientou que “o ano fecha com chave de ouro com esta grande festa desportiva da cidade”.

Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, destacou a São Silvestre como “um momento marcante da nossa cidade”.

Além da corrida de 10 quilómetros, também as 500 inscrições para a São Silvestre da Pequenada já esgotaram, com a totalidade a reverter a favor da Associação Sol.

A prova volta este ano a disputar-se ao final da tarde, às 17h30, e tem já assegurada até 2019 a continuidade do patrocínio do El Corte Inglés.

À semelhança do ano anterior, o El Corte Inglés desafiou alguns convidados para a corrida. A liderar a equipa masculina estará o apresentador Pedro Fernandes, enquanto que na formação feminina, a capitã será a jornalista Rita Rodrigues.

A realização da competição vai impor condicionamentos de trânsito na Rotunda do Marquês, Avenida da Liberdade e zona ribeirinha.

 

29.12.17