Salomon cria sapatilha reciclável
Disponível em 2021.
Foto:Cortesia da organização

A Salomon divulgou hoje o programa que levará a marca, nascida nos Alpes franceses, a um posicionamento mais sustentável no mercado do equipamento desportivo para corrida, trail e desportos de Inverno. Após 18 meses de investigação e desenvolvimento, no âmbito do programa Play Minded, no Annecy Design Center, a Salomon apresenta as suas primeiras sapatilhas de corrida totalmente recicláveis, que, em fim de vida, pode ser transformada, por exemplo, na carcaça de uma bota de esqui. Para já, trata-se de um protótipo, mas a marca avança que o modelo estará disponível em 2021.

“Sabemos que devemos actuar melhor com o meio ambiente e, por isso, queremos criar calçado Salomon que reduza drasticamente o seu impacto no planeta”, diz Gillaume Meyzenq, vice-presidente de calçado da Salomon. E acrescenta: “Ao criar este modelo de sapatilha que se pode reciclar numa carcaça de bota de esqui, estamos a demonstrar que é possível encontrar materiais alternativos para criar calçado de rendimento. É um projecto fascinante que nos ajudará a encontrar soluções de calçado mais sustentáveis no futuro.”

A maioria das construções tradicionais de calçado utiliza múltiplos materiais, como algodão, poliéster, EVA (acetato vinilo de etileno) e borracha, o que significa que é necessário usar cola ou costuras para unir os materiais, tornando esse calçado quase impossível de reciclar por completo, porque os materiais precisam de ser separados e a cola removida. No processo de criação do modelo da Salomon, é consumida menos energia e os materiais não são desperdiçados. Na sapatilha tudo é utilizado.

Para garantir que a pala deste modelo de sapatilha é suficientemente respirável para correr, os engenheiros da Salomon utilizaram dois tipos de poliuretano termoplástico (TPU), um dos quais extremamente leve e transparente. A parte inferior oferece um amortecimento que, de acordo com a marca, promove melhor o rendimento, do que a espuma Eva, que se utiliza actualmente na maioria do calçado de corrida.

Salomon

Quando a sapatilha de corrida alcança o final da sua vida, a Salomon pode limpá-la e triturá-la em pequenos pedaços. Esses pedaços de TPU misturam-se com TPU novo e são colocados numa máquina de injecção para os transformar numa bota de esqui. A carcaça da bota de esqui resultante deste processo tem as mesmas características e desempenho das botas de esqui fabricadas da forma tradicional que já utiliza plástico reciclado.

Este modelo de sapatilha totalmente reciclável é o primeiro passo no compromisso da Salomon para garantir que em 2025, 100% dos novos produtos sejam projectados de acordo com um ou mais princípios de economia circular da empresa. Para reduzir o seu impacto no meio ambiente até 2030 a Salomon pretende reduzir em 30% as suas emissões globais de carbono. E, até 2023, também eliminará compostos perfluorados (PFC) dos equipamentos de todas as categorias (não haverá PFC no calçado de Outono de 2020 na Salomon nem no equipamento e na roupa de Inverno em 2023).

Em 2025, 70% dos resíduos gerados pela Salomon serão reciclados ou reutilizados e os utilizadores poderão perceber o impacto no meio ambiente de todos os seus produtos. Também em 2025, 100% dos principais fornecedores de materiais assinaram ou demonstraram o cumprimento dos programas de Materials Compliance e Restricted Substances Lists (RSL).

Saiba mais aqui.

Conheça também os novos modelos de trail da marca para a nova época aqui.

Partilhar