Estrada
Brigid Kosgei fez cair o recorde mundial da maratona em Chicago
14 outubro 2019
2 min
Tinha 16 anos e pertencia à britânica Paula Radcliffe, desde 2003, o recorde do mundo que a queniana Brigid Kosgei fez hoje cair na Maratona de Chicago. A atleta africana parou o cronómetro às 2h14m04s, retirando 81 segundos ao recorde da britânica, que estava na meta para a abraçar.

Foto: Getty Images

Tinha 16 anos e pertencia à britânica Paula Radcliffe, desde 2003, o recorde do mundo que a queniana Brigid Kosgei fez hoje cair na Maratona de Chicago. A atleta parou o cronómetro às 2h14m04s, retirando 81 segundos ao recorde da britânica. Depois de Eliud Kipchoge ter provado ontem que é possível correr a maratona em menos de 2h00 (ver artigo aqui), ainda a festa no Quénia não tinha arrefecido e, no dia seguinte, há outra "filha da terra" a fazer história.

Além do recorde do mundo na distância-rainha, Brigid Kosgei, de 25 anos, que é treinada pelo ex-maratonista Erick Kimaiyo, retirou mais de quatro minutos ao seu melhor tempo. A atleta tinha como melhor marca pessoal 2h18m20s, que foi alcançada este ano na Maratona de Londres.

No final deste momento histórico, e depois de receber o merecido abraço de Radcliffe, Kosgei declarou: "À medida que ia forçando o andamento, sentia o meu corpo a acompanhar, a acompanhar e por isso continuei sempre a tentar." Já Paula Radcliffe disse: "Eu sabia que este momento chegaria. Quando vi quão depressa a Brigid estava a fazer a primeira metade da prova, soube que o recorde ia cair. É um dia muito especial para ela, mas também para mim."

A segunda classificada foi a etíope Ababel Yeshaneh, que a recordista do mundo deixou a mais de seis minutos de distância (2h20m51s). A medalha de bronze foi alcançada pela também etíope Gelete Burka, com a marca de 2h20m55s.

Do lado masculino, a vitória também sorriu a um queniano, Lawrence Cherono, que este ano já tinha conquistado o ouro na Maratona de Boston, e terminou a prova em 2h05m45s, em sprint, já que o segundo classificado, o etíope Dejene Debela cortou a meta um segundo depois. O terceiro classificado foi o também etíope Asefa Mengstu,  que concluiu os 42,195 quilómetros em 2h05m48s. De referir que o vencedor de 2018, Mo Farah, terminou em oitavo lugar, com o tempo de 2h09m58s.

Por curiosidade, há 29 anos, a Maratona de Chicago foi ganha pela portuguesa Aurora Cunha, com a marca de 2h31m26s.

 

Partilhar