Estrada
Geoffrey Kamworor vence Maratona de Nova Iorque
03 novembro 2019
1 min
O queniano Geoffrey Kamworor voltou a vencer (já o tinha feito em 2017) a Maratona de Nova Iorque, com a marca de 2h08m13s. Do lado feminino, venceu a sua compatriota Joyciline Jepkosgei, recordista mundial de meia maratona, ficando a sete segundos do recorde do percurso na sua estreia na distância.

Foto: DR

Realizou-se hoje a mítica Maratona de Nova Iorque, a última no calendário anual das World Major Marathons (Chicago, Boston, Londres, Tóquio e Berlim são as outras), que voltou a ver o queniano Geoffrey Kamworor a subir ao lugar mais alto do pódio (já o tinha feito em 2017) depois de alcançar a marca de 2h08m13s. Kamworor levou a melhor sobre o vencedor do ano passado e um dos principais candidatos à vitória, o etíope Lelisa Desisa (2h05m59 em 2018), que abandonou a prova aos 11 quilómetros.

O segundo e terceiro classificados foram o queniano Albert Korir (2h08m36s) e o etíope Girma Bekele Gebre (2h08m38), respectivamente. O recorde do percurso mantem-se, assim, na posse do queniano Geoffrey Mutai, com a marca de 2h05m06s, realizada na edição de 2011.

Do lado feminino, também a vencedora do ano passado – e ainda de 2014, 2015 e 2016 – a queniana Mary Keitany viu goradas as suas expectativas de carimbar a quinta vitória no percurso, ficando este ano com o segundo lugar. A sua compatriota Joyciline Jepkosgei, recordista mundial da meia maratona, arrebatou o título na sua estreia na distância, com a marca de 2h22m38s, ficando a apenas sete segundos do recorde feminino do percurso, que foi estabelecido em 2003 por Margaret Okayo (2h22m31s). Em terceiro lugar classificou-se a etíope Ruti Aga, com o tempo de 2h25m51s.

Com a edição de 2020 agendada para o dia 1 de Novembro, para um evento ainda mais especial, já que a prova nova-iorquina comemora 50 anos de existência, os interessados devem concluir a sua candidatura até ao dia 5 de Novembro aqui.

Partilhar