Estrada
World Athletics proíbe o uso de protótipos em competição
01 fevereiro 2020
1 min
A World Athletics já deliberou no que diz respeito à proibição ou não dos novos modelos de sapatilhas, como o Vaporfly, da Nike e apresentou um novo regulamento nesta matéria.

A polémica estalou com o novo modelo Vaporfly da Nike, composto por lâminas de carbono na sola e almofadas de ar, que nos últimos meses permitiu melhorar performances e estabelecer recordes. Depois de um período de incerteza quanto à possível proibição deste tipo de calçado em competição, a World Athletics emitiu ontem um comunicado, no qual proíbe o uso de protótipos em competição, incluindo um regulamento para a aprovação de sapatilhas para competição.

“A partir de 30 de Abril de 2020, qualquer sapato deve estar disponível para compra por qualquer atleta no mercado (online ou em loja) por um período de quatro meses, antes de poder ser usado em competições”, lê-se no referido comunicado. Assim, o modelo Vaporfly Next da Nike, usado pela queniana Brigid Kosgei, que em Outubro bateu o recorde mundial da maratona, é permitido e poderá ser utilizado no Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, por ter sido comercializado durante vários meses. No entanto, o protótipo Alphafly, dentro do modelo Vaporfly, que foi utilizado pelo queniano Eliud Kipchoge, para quebrar a barreira das 2h00 na maratona, está proibido, já que tem três lâminas de carbono na sola.

Já no que diz respeito ao novo regulamento, que pode consultar aqui, este tem em conta o tamanho da sola e o número de placas adicionadas à mesma. O documento reforça ainda que qualquer nova tecnologia, antes de ser validada para competição, terá de ser analisada por uma equipa de especialistas.

Partilhar