Estrada
Nike adaptou o protótipo usado por Eliud Kipchoge no INOES
06 fevereiro 2020
3 min
A Nike adaptou o protótipo Alphafly usado pelo queniano Eliud Kipchoge, no desafio INOES, em Viena (Aústria), em conformidade com as novas regras colocadas pela World Athletics (WA), e vai lançar até ao final do mês as Nike Air Zoom Alphafly NEXT%.

 

A apresentação foi feita esta quarta-feira, em Nova Iorque, num evento no qual a marca norte-americana mostrou as suas três apostas para o novo ano, de olho nos Jogos Olímpicos de Tóquio: o Alphafly NEXT%, o Tempo NEXT% e o Tempo NEXT% FlyEase.

As estrelas da noite foram as Nike Air Zoom Alphafly NEXT%, o protótipo que Eliud Kipchoge usou na maratona de Viena, mas ao que parece as novas sapatilhas correspondem às normas impostas pela World Athletics.

As características principais são: o aumento de espuma ZoomX, uma única placa de fibra de carbono (actualizações relativamente ao modelo anterior: as Nike ZoomX Vaporfly NEXT%), e uma parte superior ultra-respirável. As medidas da sola não foram reveladas, mas a meia-sola deve corresponder a 40mm.

NIKE_AIR_ZOOM_ALPHAFLY_NEXT_PERCENT_native_1600

“A pesquisa pioneira que levou ao Vaporfly original abriu portas a uma maneira totalmente nova de pensar o calçado da maratona”, referiu Carrie Dimoff, maratonista de elite e membro da Nike’s Advanced Innovation Team. “Depois de olharmos para a placa e para a espuma como um sistema, começamos a pensar em maneiras de tornar esse sistema ainda mais eficaz. Foi quando tivemos a ideia de adicionar o Nike Air, para armazenar e  devolver ainda mais energia a quem corre e garantir mais amortecimento”, concluiu.

O novo modelo estará disponível até ao final de Fevereiro, pois segundo as regras agora reveladas, a partir de 30 de Abril todos os modelos que sejam utilizados em prova têm de estar no mercado há pelo menos quatro meses.

O recorde que causou a polémica 

Em Outubro de 2019 fez-se história no mundo do atletismo quando Eliud Kipchoge bateu o recorde da maratona, concluindo-a em menos de duas horas (01h59m40s). Mas apesar da nova marca registada, gerou-se polémica em volta do calçado da Nike que o atleta queniano usou, o protótipo Alphafly, dentro do modelo Vaporfly, que possuía três placas de fibra de carbono e uma grossura de meia-sola de 51mm (calcanhar) e 42mm (biqueira), o que levou o modelo a ser caracterizado como doping tecnológico.

A controvérsia obrigou à abertura de uma investigação por parte da World Athletics, órgão regulador do atletismo, que resolveu criar um novo regulamento relativo à utilização ou não de protótipos.

Passaram apenas cinco dias, desde o anúncio oficial, no qual a World Athletics proíbe o uso de protótipos em competição, mas a Nike já se adiantou e vai lançar um novo modelo.

Partilhar