Estrada

30ª Meia Maratona de Lisboa quer bater (mais) recordes

03 março 2020
3 min
As inscrições esgotaram a dois meses da prova, que se prepara para receber 9 mil estrangeiros e atletas de elite mundial.

São 16500 participantes, entre 9 mil estrangeiros, que esgotaram a competição a dois meses da data de realização, agendada para o dia 22 de Março, e que fazem da edição comemorativa dos 30 anos da prova um momento ainda mais especial.

Estes são alguns dos números que representam recordes de uma das provas de atletismo mais emblemáticas do panorama nacional e que simbolizam para Carlos Móia, presidente do Maratona Clube de Portugal, "o realizar de um sonho", como o próprio referiu em conferência de imprensa: "Vamos ter uns 30 anos memoráveis e é para nós importante deixar esse marco na história do atletismo de Lisboa", continuou.

Com atletas mundiais que compõem uma "elite fantástica", Carlos Móia deixou ainda em aberto a ambição de concretizar o sonho de "pelo menos 20 atletas masculinos conseguirem acabar a prova na casa dos 60 minutos, o que seria inédito na história do atletismo".

Outra meta da 30ª Meia Maratona de Lisboa é a conquista do recorde do mundo de distância em femininos, que se encontra a prémio pela quantia de 100 mil euros: "Queremos superar o recorde recentemente obtido". Neste âmbito, a marca pertence a Ababel Yeshaneh, que fez 1:04:31 na Meia Maratona de Ras Al Khaimah.

Entre alguns dos principais atletas, constam os nomes de Ruth Chepngetich e Bekelech Borech.

No dia 22 de Março realizar-se-á ainda uma prova de 10 quilómetros, entre a Ponte 25 de Abril e o Mosteiro dos Jerónimos que conta com 13300 inscritos.

A edição comemorativa marca ainda a entrada da EDP Meia Maratona de Lisboa para a Half Marathon Series, ou SuperHalfs, que inclui a prova lusa no circuito, juntamente com Praga, Copenhaga, Cardiff e Valência. 

Medidas especiais devido ao Corona Vírus

Porém, não é apenas o aniversário que torna a 30ª Meia Maratona de Lisboa numa edição diferente. Apesar de assegurar que, até ao momento, não está em causa o cancelamento da prova, a organização da Meia Maratona de Lisboa garante a tomada de medidas de acção preventivas, tendo em conta os riscos relacionados com a propagação do coronavírus. "Consideramos que não se justifica o cancelamento da prova e estamos a actuar em consonância com as autoridades", garantiu Carlos Móia.

Essas medidas seguem as recomendações da Federação Internacional de Atletismo (World Athletics) e incluem a medição da temperatura corporal e realização de inquérito aos participantes no momento de recolha dos kits de participação na prova, e a instalação de uma ala de isolamento junto à Sport Expo e à chegada, equipada com o equipamento epidemiológico mais relevante. Entre as medidas mais relevantes, estão ainda incluídas a montagem de estações especiais com desinfectante cirúrgico nos locais de maior concentração e a preparação da equipa médica da prova com ambulâncias especiais que cumpram todos os requisitos sanitário-epidemiológicos.

Saiba mais sobre as 8 medidas tomadas pela organização.

 

Partilhar