Estrada

Coronavírus cancela maratonas por todo o mundo

05 março 2020
4 min
Tal como outros eventos que impliquem a concentração de multidões, o surto do coronavírus já perturbou o calendário desportivo em muitos países e o atletismo não foge à regra enquanto uma das modalidades afectadas.

 

Em Itália, o país europeu com mais casos e mortes devido à epidemia do Covid-19 - e onde, inclusive, escolas e universidades já foram encerradas até meados de Março - foi adiada a Meia Maratona Roma-Óstia - datada para 8 de Março -, após reunião com o município de Roma e na sequência de avaliações médicas dos organismos competentes, sendo que a nova data deverá ser comunicada nos próximos dias. Agendada para o dia 1 de Março, estava também a primeira edição da Maratona de Bolonha, que acabou por não acontecer devido às indicações do Ministro da Saúde italiano, que incluíam a suspensão de quaisquer eventos ou reuniões em locais públicos ou privados até ao início do mês de Março, abrangendo eventos culturais, lúdicos ou desportivos.

Em Espanha, onde o coronavírus já causou mortes, a imprensa de "nuestros hermanos" avança que a Maratona de Barcelona - que soma cerca de 17 mil inscritos -, marcada para o dia 15 de Março, pode estar em risco de não se realizar devido às medidas excepcionais impostas pelo Ministério da Saúde e que já levaram a que vários jogos de futebol se realizassem à porta fechada. Porém, até ao momento a organização garante que não foi recebida nenhuma indicação nesse sentido.

Em território francês, depois das medidas anunciadas pelo governo que impõem o cancelamento de concentrações com mais de 5 mil pessoas, em espaços fechados ou exteriores, ficou sem efeito a Meia Maratona de Paris, que esperava 44 mil participantes no primeiro dia de Março. No entanto, a organização já anunciou o dia 6 de Setembro como a nova data da prova.

Saindo da Europa, e mesmo nas provas que não deixaram de se realizar, têm sido tomadas medidas preventivas muito particulares. Por exemplo, na Maratona de Telaviv, do passado dia 28 de Fevereiro, apenas puderam participar os inscritos que já se encontrassem em território israelita. No Japão, bastou a detecção de um caso de coronavírus dentro das fronteiras nipónicas, ainda durante o mês de Fevereiro, para restringir a Maratona de Tóquio apenas à prova de elite, na qual participaram cerca de 200 atletas, no dia 1 de Março. De resto, neste país, já foram canceladas outras sete provas internacionais.

Já à semelhança do que aconteceu com a Meia Maratona de Lisboa, também a organização da Maratona de Londres, datada para 26 de Abril, emitiu um comunicado no qual confirma que, até ao momento, a competição segue como planeado, apesar de serem tomadas as medidas necessárias de acordo com o indicado pelas autoridades competentes.

No que respeita à maior prova desportiva mundial, o governo japonês voltou a assegurar que os Jogos Olímpicos de Tóquio, que se irão realizar de 24 de Julho a 9 de Agosto, não serão cancelados nem adiados, comprometendo-se a seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde.

Entretanto a Federação Portuguesa de Atletismo já se pronunciou sobre a temática, incluindo algumas recomendações a ter em conta durante competições nacionais desta natureza. 

 

Partilhar