Estrada
Português vai dar a volta a Portugal a correr
30 junho 2020
4 min
Desafio a que João Paulo Félix se propôs dá o tiro de partida no dia 15 de Julho e vai totalizar um percurso de 1250 km, tendo na homenagem aos profissionais de saúde e no apoio às vítimas de violência doméstica duas das suas principais motivações.

Esta não é a primeira vez que João Paulo Félix decide aliar o desporto a uma causa solidária, nem que atravessa Portugal a correr. Porém, afirma, “esta é a maior prova ao nível dos desafios” que tem vindo a organizar. Apaixonado pela corrida desde os 18 anos, hoje com 50, o atleta natural de Salvaterra de Magos conta já no seu palmarés com uma extensa lista de provas, de destacar o facto de ter sido, segundo o próprio, o primeiro e único atleta a correr toda a distância da Estrada Nacional 2, entre Chaves e Faro, um percurso feito ao longo dos 739,360 km durante 14 etapas.

Mas voltando à “Volta a Portugal a Correr”, tal como João Paulo Félix decidiu denominar o mais recente desafio, este vai levar o atleta a correr Portugal de “lés-a-lés”, já a partir do próximo dia 15 de Julho até dia 8 de Agosto, sendo que a partida terá lugar na "Rotunda do k738", em Faro, e a meta frente ao Monumento dos Descobrimentos, em Lisboa. São cerca de 1250 km a correr ao longo de 25 etapas. Ao desafio acresce ainda a vertente solidária, através do apoio a duas causas: “Vou ter dois lemas que me guiam: ‘eu corro contra a violência doméstica’ e uma ‘homenagem a todos os profissionais de saúde’, ou seja quero dar projecção à causa da violência doméstica e agradecer o trabalho realizado pelos profissionais de saúde durante a luta contra a Covid-19”. Nesse sentido, além da homenagem aos profissionais de saúde, que reveste particular importância devido ao momento que o mundo atravessa, o atleta vai, assim, ainda ajudar uma associação – a designar – que trabalhe com vítimas de violência doméstica: “Já tenho um parceiro/apoiante que vai doar 10 cêntimos por cada quilómetro que corra. Todos os valores angariados vão ser doados”, explica.

Apesar da vontade e espírito de iniciativa demonstrados, João Paulo Félix revela alguns dos principais obstáculos que vai enfrentar: “Vai ser muito duro física e psicologicamente. Vou correr todos os dias 50 km e ainda por cima com temperaturas mais elevadas, já que estamos no Verão”. Porém a experiência e a paixão pelo desporto, além, obviamente da vontade de poder apoiar estas causas, vão recompensar todos os esforços: “São 25 dias em estrada num país com paisagens lindíssimas, rico em pessoas e gastronomia. Acredito que será uma experiência muito enriquecedora!”.

A preparação física para um evento tão desafiante, “tem de ser a preparação de uma vida, de anos a correr”, como explica o atleta ribatejano. De resto, João Paulo Félix tem agora corrido cerca de 30 km por dia, mas nas vésperas, nomeadamente na semana anterior, vai acentuar o descanso.

Todos os desafios realizados até ao momento têm corrido muito bem, com muito apoio das pessoas e com os objectivos concretizados, e é desse modo que o atleta espera que continue: “Continuarei a fazer coisas que me enchem a alma e me dão alegria. Quero também transmitir essa alegria e resiliência às pessoas, para poder proporcionar algum momento de inspiração neste período tão particular e difícil”, finaliza o entrevistado.

Partilhar