Estrada

Primeira corrida nacional de estrada pós-covid teve lugar no Funchal

02 julho 2020
3 min
Praticamente quatro meses depois, as corridas de estrada voltaram ao Arquipélago da Madeira e ao restante território nacional, já que esta foi a primeira prova a decorrer em solo português após o confinamento determinado pela pandemia mundial.

Foto: Enyo Freitas

A Corrida do Dia da Região decorreu ontem, dia 1 de Julho, no Funchal,mas como não podia deixar de ser com algumas restrições, pois, desde logo, só puderam participar 100 atletas indicados pelos seus clubes.

A organização, liderada pela Junta de Freguesia da Sé em parceria com A.A.R.A.M – Associação de Atletismo Regional do Arquipélago da Madeira, tudo fez para que a data do Dia da Região, celebrado na zona, perpetuasse o início das competições pós-pandemia da Covid19 da melhor forma: “Foi com alguma emoção e, acima de tudo, muita alegria, que muitos participaram neste evento. De assinalar que esta prova é também a primeira a ser realizada tanto no continente português como em todos os países do sul da Europa depois do confinamento”, revelaram os responsáveis satisfeitos com o resultado.

Com um figurino diferente, a partida da prova foi dada separadamente por 5 vezes e em grupos de 20 atletas cada – sendo que os tempos só começavam a contar quando os atletas transpunham o tapete cronómetro colocado na linha de partida –, “registe-se o elevado civismo e respeito pelo próximo demonstrado por todos os intervenientes, cumprindo ao máximo as várias obrigações que o regulamento da prova assim o exigia”, revelou ainda a organização da prova.

Antes do tiro de partida houve ainda tempo para homenagear a atleta Maria Helena Freitas, tendo sido cumprido um minuto de silêncio pelo seu falecimento recente, ela que além de mãe do olímpico de ténis de mesa Marcos Freitas, era uma presença assídua nas provas do Madeira a Correr. 

No plano competitivo, as mulheres que correspondiam a um quarto do pelotão, tiveram como grande e incontestável vencedora, Joana Soares, do Jardim da Serra, que cumpriu os pouco mais de 5000 metros em 18,09m, seguida por Daniela Sousa, do Estreito, com 19,51m, tendo a atleta Ana Luísa Viveiros, da A.D.R.A.P., completado o pódio com 21,47m.

No sector masculino, foi Bruno Moniz, da A.D.R.A.P., quem dominou de forma inequívoca, ao vencer com o tempo de 16,31m . Já Paulo Macedo, também da A.D.R.A.P., foi o segundo com 16,53m. Eduardo Pestana, do Jardim da Serra, com 17,25m foi o mais forte e rápido de três atletas no sprint final para obtenção do 3º lugar da geral.

De assinalar ainda que, apesar de não ter havido cerimónia de entrega de prémios, todos os atletas tiveram direito a um medalhão alusivo a esta que foi a 13ª prova do projecto da A.A.R.A.M. "Madeira a Correr" da época 2019/2020.

Partilhar