Pista

Noah Lyles, Donavan Brazier e Sam Kendricks brilharam nos mundiais

07 outubro 2019
3 min
Os atletas dos Estados Unidos da América Noah Lyles, nos 200 metros, Donavan Brazier, nos 800 metros, e Sam Kendricks, no salto com vara, protagonizaram ontem, nos Campeonatos do Mundo de Atletismo, em Doha, no Qatar, três grandes momentos competitivos.

Foto: Getty Images

Os atletas dos Estados Unidos da América Noah Lyles, nos 200 metros, Donavan Brazier, nos 800 metros, e Sam Kendricks, no salto com vara, protagonizaram ontem, nos Campeonatos do Mundo de Atletismo, em Doha, no Qatar, três grandes momentos competitivos.

Noah Lyles, o líder mundial do ranking nos 200 metros nesta época, cedo se afirmou na corrida e, apesar de, na parte final, o britânico Adam Gemili ter protagonizado uma curta vantagem, Lyles acabou por vencer ficando à frente do canadiano Andre De Grasse, com a marca de 19s83', subindo a quarto melhor de sempre. O bronze foi para um super-rápido final de Alex Quiñónez, que com a marca de 19s98', tornou-se no segundo equatoriano na história a ganhar uma medalha num campeonato do mundo. Adam Gemili acabaria por ficar na quarta posição, afastado das medalhas, com o tempo de 20s03'.

Em seguida, Donavan Brazier tornou-se nos primeiro norte-americano - entre homens e mulheres - a vencer o ouro nos 800 metros num campeonato do mundo de atletismo. Com a marca alcançada de 1m42s34', Brazier bateu o recorde dos campeonatos na distância, com a maior margem de vitória sobre o segundo classificado de que há memória na história do certame, afirmou-se como vice-líder do ranking mundial nesta temporada e entrou para o top 10 (em 10.º lugar) dos melhores de sempre nos 800 metros. Amel Tuka, da Bósnia e Herzegovina, "subiu" da medalha de bronze que conquistou nos Campeonatos do Mundo de 2015 para a de prata, com a marca de 1m43s47', à frente de Ferguson Rotich, do Quénia, que alcançou o bronze em 1m43s82'.

No salto com vara, Sam Kendricks conseguiu defender o título de campeão do mundo, numa conquista só antes alcançada pelo incontornável Sergey Bubka, que detém o recorde da disciplina (6,14 metros) desde 1994. Kendricks alcançou os 5,97 metros, mas este não foi o seu melhor resultado nesta temporada, tendo conquistado os 6,06 metros em Julho deste ano, que o colocaram em primeiro lugar no ranking mundial da temporada e em segundo na lista de melhores atletas de todos os tempos nos salto com vara. Kendricks esteve duas vezes à beira da derrota, mas, à terceira tentativa, conseguiu alcançar os 5,87 metros e os 5,97 metros. O sueco Armand Duplantis alcançou os 5,97 metros à terceira tentativa, mas como Kendricks conseguiu alcançar os 5,92 metros na primeira tentativa, ganhou o ouro na contagem regressiva. O bronze foi para Piotr Lisek, da Polónia, com 5,87 metros.

Partilhar