Actualidade
Correr com máscara pode ser benéfico?
07 maio 2020
3 min
Ao restringir o fluxo de ar que inspiramos, correr com máscara pode levar ao fortalecimento dos pulmões e do diafragma e, com o tempo, a uma melhoria do desempenho.

Embora em Portugal apenas seja obrigatório o uso de máscara nos transportes e serviços públicos, e nos espaços de comércio e restauração, a verdade é que mesmo nos espaços exteriores cada vez mais cidadãos optam pela sua utilização.

É por isso que tem vindo a ser debatido se estas devem ou não ser usadas nas corridas ao ar livre, uma vez que ainda há incertezas sobre a distância de segurança que se deve manter em zonas onde se concentram mais corredores.

Nesse sentido, e porque há quem, na dúvida, preferia sair protegido, o aumento da “moda forçada” de correr com máscara tem sido notório. Porém as queixas sobre as dificuldades sentidas também se fazem notar. E não é por acaso, já que “correr de máscara ou com qualquer outro tipo de cobertura facial é manifestamente mais difícil, porque é necessário mais esforço para colocar a mesma quantidade de ar nos pulmões”, tal como explicou à Runners World Timothy Lyman, director de programas de treino do Fleet Feet Pittsburgh.

Mas, tal como se sabe e revelou a mesma edição no seu site, correr com máscara não é um conceito totalmente novo, pois as máscaras de treino de elevação já há muito provaram conseguir melhorar a capacidade pulmonar e de oxigénio, ao simularem condições de elevada altitude (treino hipóxico). Mas será que as máscaras de protecção terão o mesmo efeito?

A resposta é negativa. As máscaras utilizadas para simular um treino hipóxico são produzidas para restringir de forma intencional a quantidade de oxigénio inspirada, sendo que muitas têm mesmo uma válvula que permite ajustar – diminuindo ou aumentando – o nível de oxigénio. O que permite a médio/longo prazo treinar com níveis mais baixos de oxigénio e, consequentemente, aumentar a capacidade pulmonar.

Já com as máscaras utilizadas para combater a propagação da Covid-19 “o corredor não altera a saturação de oxigénio do ar que respira, apenas respira menos ar”, observou Timothy Lyman.

Benefícios de correr com máscara

Ainda assim, existirão ou não vantagens? Se utilizar máscara enquanto corre, essa cobertura facial restringe o fluxo de ar para os pulmões, o que significa que estes necessitam trabalhar mais para obter a mesma quantidade de ar e, com o tempo, isso leva ao fortalecimento dos pulmões e do diafragma, impulsionando o sistema respiratório.

É ainda aconselhada a respiração nasal, de modo a evitar que a máscara fique mais húmida – o que pode torná-la menos eficaz – e proteger ainda de eventuais partículas virais. Para tal, Lyman sugere que se mantenha um ritmo mais lento de corrida para se acostumar à máscara.

Deste modo, quando voltar a correr sem máscara, provavelmente notará melhoria no seu desempenho.

 

Leia também:

- Marca italiana cria máscara desportiva

Partilhar