Actualidade

AIU anuncia sanções contra quatro atletas quenianos

24 julho 2020
2 min
Elijah Managoi, ex-campeão mundial dos 1500m é um dos penalizados.

A Unidade de Integridade do Atletismo (AIU) anunciou sanções contra quatro atletas quenianos, com dois suspensos provisoriamente e outros dois banidos por doping.

Elijah Managoi, campeão mundial dos 1500m em 2017 e medalhado com prata nos dois anos anteriores, foi suspenso provisoriamente por ter violado as regras do doping no que concerne à indicação da sua localização.

De acordo com a AIU, o atleta de 27 anos foi suspenso por violar as obrigações em relação à divulgação, com regularidade, dos locais de treino, para efeitos de recolha de amostras para análise.

O queniano Manangoi é o mais recente campeão mundial sob investigação por não estar disponível para fornecer uma amostra ou não actualizar o local de treinos onde pode ser contactado, a qualquer momento, para a recolha de amostras antidoping.

De acordo com as regras antidoping em vigor, os atletas devem indicar as suas localizações geográficas às autoridades com 90 dias de antecedência, com o objectivo de permitir controlos não anunciados fora da competição ao longo do ano.

Três violações da obrigação de divulgar o paradeiro em doze meses constituem um crime antidoping e o atleta incorre numa sanção que pode ditar a sua suspensão por dois anos, reduzida a um, dependendo das circunstâncias atenuantes.

Patrick Siele, vencedor das meias-maratonas de Agadir e Bucareste, em 2018, foi também suspenso provisoriamente por não enviar amostras para testagem.

Kenneth Kiprop Kipkemoi, que ganhou a Maratona de Roterdão em 2018, foi banido durante dois anos depois de testar positivo para uma substância proibida. Já a atleta feminina Mercy Jerotich Kibarus foi banida por oito anos depois de também testar positivo para substâncias proibidas, nesta que é já a sua segunda violação antidoping cometida num período cinco anos.

Estas sanções vêm prejudicar ainda mais a reputação do atletismo queniano, que soma já mais de 55 atletas listados como inelegíveis pela AIU.

A suspensão provisória de Manangoi, que também conquistou os títulos da Commonwealth Games e do Campeonato Africano em 2018, é um golpe particularmente relevante, dado o seu elevado perfil.

Leia também:

Partilhar